oração para Deus com carinho

eu mesmo lavo meus pés
nunca fiquei à vontade
eu mesmo bebo meu sangue, bebo meu sangue
teu sangue não me deixa à vontade

prefiro meus perfumes baratos
seu alabastro é só uma metáfora
arrasto minha mente, ela voa, ela tá fora
tá fora dessa ciranda de raiva

ciranda de fogo destoa
destoa dessa linda passagem
nessa ciranda de fogo eu trago
trago minha dor, infame paisagem

subindo a escada do inferno
torcendo pra que haja perdão
não que eu me arrependa, caso arrependa
dizem aí que existe perdão

espero moratória nesse verso
não que eu não creia na história
não que eu queira alguma glória
se depender de oratória, consigo perdão
nessa oração

Advertisements

doce ilusão do marinheiro
que conduz a própria nau
não sabe que só é si ao espelho
do motim que lhe dá o aval
…pra seguir

segue em frente, sol tangente
o som das ondas, estridente
terra à vista, mostra os dentes
sorri, sorri, segue em frente.

o capitão e seu falso leme
estão como… Estocolmo…
apaixonados, falso perene
gosto de controlar a sua jornada

…por favor capitão. não blasfeme.

 

da eternidade

dançando, gozo e dor,
são semente e flor.
são estações, amor, certezas, fartura e escassez
são a própria idade.
se alternam, se findam, se vão e recomeçam, sempre outra vez,
embaçando a realidade…
mas em meio à essa sinfonia,
proponho um brinde ao detentor da verdadeira eternidade:
o problema.

do ser

nossos laços, repletos de nós
atam e desatam ao sussurro da voz.
giramos a sós, como luas e sóis
não viemos de ruas, somos girassóis.

sou parte de nós, sou parte de vós
sou vários retalhos desaguando na foz
sou foz de almas, que dissolvem veloz
nas palmas do tempo, preciso algoz.

homem moderno

o eternamente insatisfeito
vazio de peito, bate a porta
vazio de peito, não se conforta.

de um jeito qualquer, seu leito:
só é, sol foi.

“sou feito… homem feito!”
de razão cheio, de mágoa repleto,
mas não descoberto!

“sei que encubro.
o rubro de meus olhos
o rubro de meu ódio.
pago minhas contas e sou o que for pra ser!
sou até ser!
sou até só…
sou só.”