areia

desço agora as ruas de pedra
sentindo falta do asfalto
as igrejas ao pôr do sol
também me lembram os pés descalços
na areia, nossos corpos se sujando
e eu dizendo naquele instante
“eternamente eu te amo”
“eternamente, eu te amo”
seu sorriso por aqui, custo achar
continuo vagando, procurando…
só que nenhuma destas camas me esquenta
seja lá quem estiver nelas
e beijando outros corpos, vejo
o quanto me deixou sequelas
meu padrão por muito tempo foi você
mas meu tempo já não é mais tão padrão
me iludo às vezes, nem sei porquê,
que voltar pra “casa”
pra areia
pra você
seria solução.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s