da religião

enfim livre…
feliz, talvez.
como sempre, aliás:
semi-alegre, longe-triste
o ócio assiste
o teclado, me entrega
(por favor, me releva)
minha face? revela;
na manhã seguinte, remela.
sem vela, sem santo
sem um olhar do canto
sem pecado, sem encanto
sem ilusão.
solidão? não: terra à vista!
dominei meu próprio nariz
do pastor que diz
isso ou aquilo… eu?
eu nada. eu nado.
tô tranquilo. e feliz. talvez.