primavera

não entendo o que aconteceu
fico sem explicação, perco a fé na razão
sem razão pra se ter fé.
minha estrutura, mesmo depois de um imenso terremoto
se manteve de pé…
mas mais forte do que qualquer terremoto,
tsunami, ou todas as catástrofes naturais juntas
mais forte é a ação do tempo
que como o vento
corrói as colunas de aço, oxida todas as vigas
separa…
almas unidas…
e junto com o tempo, vêm as chuvas, vêm os sóis
que abrem sorrisos, mas também molham lençóis
abrem abismos que originam rios, logo após
algas, logo após
peixes, caranguejos, caracóis
logo após.
e quando fecho os olhos, sentindo o chão tremer
abro devagar os estes olhos, assisto o verde crescer
no lugar do velho e rígido concreto que eu chamava de
“mundo”.
a verdade é que sou saudoso, sim, com o passado
e não consigo me acostumar com esse ‘novo’
e se eu tivesse a oportunidade,
com certeza,
voltaria pra só mais um abraço
mas sei que o nascer de uma flor
pressupõe o morrer da semente
e em minha mente, sei também que se aqui é inverno
em algum lugar é verão
e ansioso, fico na espera
que depois desses longos outonos
eu compartilhe com você mais uma primavera

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s