estrada

(texto feito em uma viagem de carro para campos)

paciência de um monge
ânsia de um feto
fim parece longe
passado parece perto

o futuro está aberto
tudo depende das decisões a se tomar
há quem goste de projeções ou estatísticas
eu só continuo a caminhar

e confiar

aliviado por não estar no volante
não paro de sonhar um instante
e se demora
é porque ainda não chegou
mas ao chegar, nem parece que demorou!

uma falsa história
tempo e memória,
dois amantes.
perceberam que as coisas não eram mais como antes
e por simples vingança,
criaram a hora
minuto
segundo
decretando assim, o fim do mundo.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s